domingo, 3 de junho de 2007

- Mão única -


Tão clara pra minha vida normal,
recheada de desejos e sonhos simples,
tão feliz e determinada em seguir soh com meus pés,
seguindo a estrada que sempre busquei.
Ah pq existem desvios, encruzilhadas??? Tão mais fácil seria,
que além de reta ela fosse de mão única para que não
toparmos de cara com o acaso que insiste em pregar peças,
atropelar roteiros traçados, adormecer sonhos.
Tem horas não queria ninguém morando aqui dentro,
sempre entra alguém que de alguma forma
fere meus sentimentos.

Um comentário:

Peter Zen disse...

O ser humano é dotado deste dom divino, que é o amor. Mas amor só faz sentido quando em verbo, o amar. E não devemos jamais deixar de fluir com a vida, amando a vida, as pessoas, pois só assim manteremos este dom vivo e precioso dentro de nós. Amar!

Sim, as vezes nos ferimos, e muitas vezes quem nos fere, nem teve noção disso, nem sabia que estava ferindo. Mas o fato é que nos ferimos... mas ainda assim... tudo sempre vale a pena, quando se trata de amar.

Jamais deixe que um ferimento, de onde quer que ele venha e da forma sem querer que possa ter vindo, te tire este dom de amar as pessoas.

Beijos